O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry.


Autor:  Antoine de Saint-Exupéry
Editora: Agir
Ano: 2006
Número de Páginas: 95
Flores de Lótus - OMG PERFEITO!

Sinopse:

Livro de criança? Com certeza! Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi. O pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância.De repente retorna os sonhos. Reaparece a lembrençade questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíves na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordaçoes.O reencontro,o homem-menino.




Uma releitura do livro que marcou minha infância de uma forma inigualável!
Uma releitura do livro que me fez amar e amar ler

Tu te tornas eternamente responsável por tudo o que tu cativas, me cativastes e agora és responsável por mim... pois o tempo e o carinho que dedicas a mim é o que mostra o quanto sou importante para você.
Não tem com negar que ''O pequeno príncipe'' é um dos livros mais especiais para a maioria dos leitores. Admitimos a grandiosidade desse livro, não pelo fato dele ser muito complexo, pois ao contrário do dito, ele é nada mais nada menos do que simples... Porém TOCANTE!
Então vamos à resenha de ''O Pequeno Príncipe''.

O pequeno príncipe vai contar a estória de um homem que teve sua infância frustrada no momento em que fez um desenho ainda quando criança. O desenho era de uma jiboia comendo um elefante e a frustração se deu quando todos os adultos a quem ele mostrou o feito em questão, falavam apenas que o mesmo remetia apenas a um chapéu. Então seu sonho de ser desenhista caiu por terra e ele decide virar um piloto de avião.


“É preciso que eu suporte duas ou três lagartas se quiser conhecer as borboletas”


Numa de suas primeiras viagens o homem teve um problema com o motor do avião, tendo que realizar uma parada de emergência bem no deserto do saara. Sozinho na imensidão, ele decide dormir para reavaliar sua situação. Quando acorda dá de cara com um garoto, um príncipe na verdade, que não parava de pedir para que ele desenhasse um carneiro... Nosso narrador decide brincar com o Príncipe e acaba por desenhar seu primeiro feito: O elefante sendo comido pela jibóia.

O mais interessante na vista do homem foi que o garoto reconheceu BEM a essência do desenho feito por ele, com isso ele decide fazer o tal carneiro para o principezinho. 

A partir daí ambos vão criando uma relação de amizade e o principezinho vai abrindo seu coração a respeito dos adultos, seus pensamentos, além de nos apresentar o seu mundo, o seu amor e o seu coração.


“Tu julgarás a ti mesmo -respondeu-lhe o rei- É o mais difícil. É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar aos outros. Se consegues um bom julgamento de ti, és um verdadeiro sábio.”


“Se tu choras por ter perdido o sol, as lágrimas te impedirão de ver as estrelas.”


O mais bacana nesse livro em especial é a maravilhosa mensagem que nos é transpassada.   A de que a criança que viveu em nós quando menores, ainda está guardada em nossos corações e que está acima de tudo VIVA. Acho que esse é o maior motivo que me faz sempre querer ler esse livro quando o vejo na estante. A narrativa fluiu de uma forma mais que notável e as 95 páginas que compõem esse livro são apenas um suspiro ou uma batida de coração para aqueles que se detêm na estória.

A linguagem utilizada é um pouco mais elaborada fazendo com que as crianças entendam apenas o enxuto da estória, mas nada que uma boa mãe ou um bom pai para apresentar ao mesmo o real sentido da estória. As mensagens estão dispostas nas próprias estórias e para entendê-las como um todo, apenas precisa ter um olhar mais apurado às frases soltas que o príncipe solta ao longo dos parágrafos.


“As pessoas são solitárias porque constroem muros ao invés de pontes.”


Não vou falar sobre as aventuras que o principezinho vai encarar e as lições colhidas, pois estaria tirando o prazer da leitura caso queiram ler o livro, mas posso garantir que depois de lido o livro vai ganhar espaço na sua vida e com certeza na vida de seus futuros filhos, pois essa é uma estória que vale apena ser repassada.

Muito obrigado por lerem, comentem aqui o que acharam do livro. :D Bjos Bjos*