Resenha: Assassinato no Expresso do Oriente

Autora: Agatha Chistie
Editora: Nova Fronteira
Ano: 1934
Número de páginas: 224
Flores de Lótus: 4.5
Sinopse:
''Pouco depois da meia-noite, uma tempestade de neve pára o Expresso do Oriente nos trilhos. O luxuoso trem está surpreendentemente cheio para essa época do ano. Mas, na manhã seguinte, há um passageiro a menos. Um americano é encontrado morto em sua cabina, com doze facadas, e a porta estava trancada por dentro. Pistas falsas são colocadas no caminho de Hercule Poirot para tentar mantê-lo fora de cena, mas, num dramático desenlace, ele apresenta não uma, mas duas soluções para o crime."




 
O que eu achei ao todo:

O livro é curto, porém muito bem escrito e arquitetado. Foi o primeiro livro que eu li dessa autora e com certeza lerei as outras publicações da mesma. O livro é um clássico lançado em 1934 porém a linguagem não incomoda na leitura. Achei as frases francesas não traduzidas no livro algo a mais, deixou o livro bem mais elegante, mas não são frases difíceis, você as entende tranquilamente. O enredo do livro se compara a um grande quebra-cabeça e fazendo com que nós, leitores, resolvemos o caso junto com Poirot, que diga-se de passagem é um cara sensacional e de de grande esperteza:
'' Os olhos de Poirot  vasculhavam a cabina, brilhando aguçadamente como os de um gato na noite.Percebia-se que nada lhe escaparia...''

Resenha:
A história central se passa quando Poirot tem que ir numa viagem no Expresso do Oriente a resolver um problema. Nessa viagem o investigador se depara com um homem muito rico, Ratchett, que pede a ajuda de Poirot para manter sua segurança, oferecendo a ele muito, muito dinheiro. Poirot entretanto, não aceita a oferta dele por um simples motivo:
'' - O que há de errado com minha oferta? Poirot ergueu-se :

- Se me desculpar a observação pessoal, eu não gosto da sua cara, M. Ratchett - dizendo isso foi deixando o carro restaurante.''
 *Eu amei a ousadia! hahaha...passa...

No decorrer da viagem, de madrugada, o trem precisa fazer uma parada por que uma nevasca atrapalha a viagem. Na manhã seguinte, descobre-se que Ratchett foi encontrado morto no seu vagão com 12 facadas espalhadas pelo corpo. A pedido do capitão, Bouc, que também é muito amigo de Poirot... Poirot decide assumir o caso e desvendar esse mistério. O resto do livro é ele colhendo provas para achar o assassino.

Não posso falar mais nada senão acabo por não terminar de contar! A história é muito boa e o livro vem com um Mapa do trem, mostrando todos os quartos de todos os personagem e onde eles se encontram:



Pode-se ver que são muitos personagens. Super recomendo o livro da Autora, vale muito apena.