Resenha: Carrie, A Estranha, de Stephen King

Autor:  Stephen King
Editora: Suma de Letras
Ano: 2009
Número de Páginas200 páginas.
Flores de Lótus - OMG PERFEITO!
Sinopse:

Carrie, a Estranha narra a atormentada adolescência de uma jovem problemática, perseguida pelos colegas, professores e impedida pela mãe de levar a vida como as garotas de sua idade. Só que Carrie guarda um segredo: quando ela está por perto, objetos voam, portas são trancadas ao sabor do nada, velas se apagam e voltam a iluminar, misteriosamente.

Aos 16 anos, desajustada socialmente, Carrie prepara sua vingança contra todos os que a prejudicaram. A vendeta vem à tona de forma tão furiosa e amedrontadora que até hoje permanece como exemplo de uma das mais chocantes e inovadoras narrativas de terror de todos os tempos.
Com tantos ingredientes de suspense, Carrie, a Estranha logo se transformou num enorme sucesso internacional e passou a integrar a mitologia americana. Ao ser transportado para as telas, em 1976, pelas mãos de Brian de Palma, teve a atriz Sissy Spacek e John Travolta em seus papéis principais.


O livro vai nos apresentar a estória de Carietta White – Carrie - uma garota que morava apenas com sua mãe em Chamberlain. Carrie teve uma criação diferenciada em relação às outras crianças, pois sua mãe era uma espécie de fanática religiosa que acreditava que nos mais simples atos, a pessoa cometia uma compilação de pecado e satanismo. Esse fanatismo fazia com que ela colocasse regras absurdas não só no comportamento da menina, mas também na sua vida. Por tais fatos, Carrie desde pequena foi considerada estranha pelas outras crianças. Ela sempre se vestia de uma maneira mais formal, não tinha uma relação social saudável com as outras pessoas e tudo isso é reflexo direto da forma da qual recebeu o tratamento de sua mãe.

Carrie, com 16 anos, estudava no ensino médio e era considerada a chacota da turma por seu comportamento mais reservado e por seu jeito estranho de ser. Ela sofria diariamente com o preconceito e com a falta de maturidade de alguns ‘’amigos’’. Exemplo disso, foi quando a pobre garota menstruou pela primeira vez no vestiário feminino na frente das meninas, ela não só ficou aflita porque não sabia o que estava acontecendo com seu corpo, mas estava desesperada. Como ‘’punição’’ Carrie foi bombardeada com absorventes e xingada. A única coisa que Carrie fez foi deitar no chão e esperar tudo passar.



A Sr. White ficou com ódio quando soube do ocorrido, passou a dizer que ela era filha do demônio e fez a garota pagar uma punição: Ficar trancada dentro de um armário, rezando para um Deus misericordioso perdoá-la pelos seus pecados.

A treinadora que acompanhou à cena dos absorventes, sensatamente não achou correta a atitudes das garotas pelo que elas fizeram com Carrie e aplicou uma punição junto com o diretor. A líder do ataque, Chris, ficou absolutamente indignada com tal ato e prometeu se vingar de Carrie por tudo que era mais sagrado. E ela vai até o fim com seu plano. Depois de muitos maus tratos e de muito sofrimento, Carrie aflora em si o dom da telecinese, que está presente em seu corpo desde quando ela era pequena, o dom de telepatia. Dom esse que servirá futuramente para uma doce e argilosa vingança.


A narrativa de Stephen é fenomenal, frases de efeito são lançadas no decorrer das partes fazendo com que o leitor queira sempre saber no que vai se prosseguir o enredo. O livro é dividido em três partes e essas partes não possuem capítulos, podemos estranhar de início, mas depois que pegamos o ritmo tudo fluí de maneira bem natural.

Os personagens, em especial Carrie, são muito bem construídos e estruturados. As atitudes infames não só da mãe de Carrie, mas as da menina são muito bem ditadas. Tudo acontece no seu tempo. A Sr. White se mostra tão inocente quanto a própria garota, pois tudo que foi passado para ela não era nada mais nada menos do que o que a mãe dela acreditava ser verídico. O espaço temporal em que o enredo se desenvolve alterna entre passado e presente. Funciona mais ou menos assim: o presente se dá com a interrogação dos sobreviventes ao ataque Carrie e o passado se dá aos fatos que se sucederam quando a estranha garota estava entorpecida com o ódio que se acumulava em seu coração. 

No decorrer do livro, vamos conhecer uma pouco mais a fundo a relação de alguns ‘’amigos’’ de Carrie, como Susan, Chris, Billy e Tommy. O trabalho editorial que a suma de letras desenvolveu nessa nova edição ficou esplendoroso, a capa do filme está LINDA e até melhor que a original em minha opinião, as folhas são amareladas e a fonte também está num tamanho agradável.


Minha opinião geral a respeito da obra é que se você ainda não leu nada desse autor, corra para a livraria mais próxima e não deixe de se deliciar lendo um livro de suspense tão bem arquitetado e planejado, tão doloroso, mas ao mesmo tempo sutil, que fará com que seus olhos não se fechem até que a última página seja folheada.